Desculpe o transtorno

E não por você tomar conta da casa
E não é por você tomar conta de todo o mundo
E não é por você tomar as coisas pra você
é que eu mudei
É que eu mudei.
Eu sou algo diferente do depois do felizes para sempre.
É que eu não vou ser fera ou príncipe
É que eu tenho muito mais coisa guardada dentro de mim
É que eu tenho a sensação do fracasso no íntimo.
Tenho a sensação da construção do declínio.
Os tijolos do edifício quando implodindo tem uma ordem linear
então ver um monte de poeira e destroços subirem pra mim
é uma chance de reconstrução do que está aí.
Não é o fim. É só um recomeço. Uma fase a mais.
Quebra, é verdade. Dói também, é verdade. É verdade, dói e quebra.
Refazer dói e quebra.
Construir regenera.
E você não vai tomar conta de novo.
Não sozinha.
E você não vai ter que entender o mundo todo e sua própria dor.
Não sozinha.
Eu sou e sei algo diferente agora e construimos isso.

Eu sou e sou algo diferente agora e construimos isso pra ser teu amor.

Tiago Felipe Viegas Carneiro  11/06/2013

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s