dois poemas

pra falar a verdade, me dói
e caralho da puta que o pariu vocês, nem ninguém vai entender como.
se nem eu entendo a dimensão da dor
vai você de fora querer imaginar motivo, consequência ?
não só quem está ali dentro pra viver, e ainda tem que viver em dois
e depois descobrir a verdade.
a verdade de dois.
e descobirndo a verdade e depois?

Tiago Felipe Viegas Carneiro 26/09/2013

desato o nó da gravata
desato do astro maledicente da vida
e depois deito
cego e serpente
sem fé e ferido
me recompanho
apanho e desfruto
nenhuma árvore dá vida
sem se reconstruir a cada momento.

Tiago Felipe Viegas Carneiro 26/09/2013

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.