quando eu deixo de falar a verdade?
quando eu deixo de ficar a vontade?
quando eu me desespero tudo se funde e se abre
quando eu me perco tudo desaparece e se acha

um artista é um ser mentiroso mesmo
Fernando Pessoa já disse.

Oras eu sou um finge dor.
Mas sou mais com as manipulações que tenho
eu também manipulo a minha dor.

Não a entendo. Essa é dor da dor.
Essa é calma que se vira aparente e de repente
vira um verso que é o inverso do que queria dizer
isso me faz acostumar.

Como não a entendo e a manipulo
eu não sei seu tamanho exato por não deixá-la viver.

Como e simplesmente engulo
não sinto o amargo e o bem que essa rúcula insana me produz.

Já que minha sede cede à dor esse desejo
porque não aproveitá-lo?

Qual o motivo de não vivê-lo?

Tiago Felipe Viegas Carneiro 04/10/2013

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.