ciúmes não rancorozos
rsrsrsrsrsrsrs
choro de bandido

contra a vontade deles
nasceu no asfalto mas nasceu

Mesmo miseráveis os poetas despotas
eles ainda vão dizer que ao mesmo tempo
são desconfortáveis mas amam
mas não soltam faíscas.

Ainda mais quando perdemos a noção da nação
que habita e que se faz a hora de mudar

ah choro bandido que na hora que tem que vir
vem só pra me contrariar.

Ah choro banido que pra te parir
tive que corremper, tive que desaguar
no oceano o que me era mais precioso
e agora já não mais preciso

minhas teclas então se refazem no meu piano
que era teu corpo

e que minhas mãos já não sabem mais outro dorso.

há pra conhecer meu próprio desvario.

o que finda e se no amor não há o fim que há pra dar?

Como?

Tiago Felipe Viegas Carneiro  11/10/13

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.