aconchega teu próprio corpo na cama

acabou o chorare
carneiro carneirinho

faz zumzum e mel
com o próprio novelo da tua lã
acorda com o mel derramado na boca

aconchega teu próprio corpo na cama
e teu lar é o mundo, é uma cama confortável

entra lá no teu mundo
faz zumzum e deita

sonha com tudo azul
pois do fim o azul é a cor mais demente do amor
é quando tudo do amor precisa de paz

volta a se enrolar no tecido que produz
deixa o vento frio acontecer e se aqueça
assim é constituído o teu viver

faz humhum e lã

se deixa livre e tonto

põe essa desculpa e faz o que sempre quis acontecer

se deixa pronto e faz o que lhe couber fazer

vai tanger a valsa-funk e compor sem ritmo

pois dado o teu tecer, a vida é tudo fluída
és fugidio do que não mais se encontra
canta tua cantiga de ninar e que faz outros despertar
dorme
se põe só, e mel!

se desperta a tempo de não perder o que é bom de ver
o que do bonde dá pra ver

nuvem de lã

abelha de flor em flor e descobre o que é o pólen
e dele faz um mel mais gostoso

vai ninar

e deixa

faz se ninar

e se deita

face de ninar

e deixa

carneiro, Carneirinho

faz teu mel e pronto.

Tiago Felipe Viegas Carneiro  01/01/2014

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.