bras-ilha

2013-10-12-3678

 

vigiei a cidade até onde não poderia

 

aquilo tudo fazia parte de mim ainda

 

meus cálculo mal feitos

 

o desenho exato dos prédios

era pra mim Brasília

 

 

o desenho que foi crescendo era a mina

do tudo que desarvora Brasília

 

tudo passa e tem que passar por ali

Brasil-Ilha

tudo o que aprendi ali

Bras-Milha

 

Tudo o que quero por ali nem Brás, nem Cubas, nem Ilhas

só eu em meio ao cerrado ferrado

ferrenho de meus desejos sentindo o cheiro da terra

 

Ah, o cheiro da chuva quando cai naquela terra impera

penetra é como se o seu poro guardasse ao invés de evaporar

o suor lembrando que ele é teu

que aquela é a terra onde caiu o teu suor desterrado.

 

Tiago Felipe Viegas Carneiro 22/05/2014

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s