nova voz

 

 

FullSizeRender(1)

 

 

 

 

 

 

 

 

Então  aquele cujas mãos são 21 vezes maior que a minha

que delicadamente me embalará

vai me ensinar os primeiros passos

me mostrará os astros

me reavivará a lembrança mostrando de onde vim, meu berço, é você?

Você que no pouquíssimo da vida tiraria da própria boca para me dar

no meu afã de realizar um devaneio.

Teu corpo, parte do meu atual calor

Teu peito batida de meu coração encanto.

Você pernas que abraçarei para fugir do que desconhecerei

Você poder de veto e vasta alegria?

Você gosto desajeitado de roupas, enfeites

Você briga interna de seus medos, arroubos e se tenta centrar.

Você meu próprio mundo umbigo

Realidade de tudo que começo a conhecer

Realidade de dia a dia que vamos provar

Você o sal, a terra, o mar que sempre tentarei saber

Você noites insones a me acalentar

Você noites aos montes a esperar

Força, serra, serrote, martelo, prego, cata-vento, boneca, brasa

fogo, ferro, faca, papel, chá da tarde, tesoura, tesouros

descobertas, coberta

Você paciência e impaciência

presença e ausência que um dia vai me acalentar

Você elemento solto a me entreter e alimentar.

Você, não, sim, pode, é melhor deixar pra outra hora

asseio, anseio e ternura.

Seu rosto, nariz a nariz, olho no olho, quando se é apenas mais que palavra

 

 

Tiago Felipe Viegas Carneiro 28/09/2015

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.