Elas fazem o que querem

Eu tenho que me abster

 

El(e)as fazem o que bem entendem

Eu concordo

aceito

defendo

a vida se faz assim

El(e)as

el(e)as fazem o que querem

eu tento me conter pois é muita felicidade ver o outro

eu hétero não posso furtar pra mim do outro ser tão feliz

el(e)as amam, se amam, se querem, e se não querem como qualquer ser muda dão mudas e mudam de novo

eu tento fazer com que outros entendam

 

el(a)es enfrentam diariamente num mundo preso o olhar revolto de quem não se liberta

el(e)as são desdenhados com o olhar solto de quem pragueja que o valor moral do outro é uma mazela

elaeaes se revezam na grandeza de adicionar beleza na redondeza

elaeaes por mostrar que a felicidade pode vir de qualquer lugar

e do próprio ventre que te irmana

isso  se deve ser dito sempre ao próximo

te amo mesmo que o sol se ponha e a sombra se ponha sobre o nosso caminho de libertação.

 

se encontrar e não deixar nada pra trás pelos passos passados com os afincos das ideologias vugares que as idades tornam vulgares.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.